CERTIFICAÇÃO DE MÚSICOS EMOCIONA PRESENTES NO CONJUNTO PENAL DE ITABUNA

A emoção foi a tônica da cerimônia de certificação da primeira turma de musicistas formados no Conjunto Penal de Itabuna. Sete internos, que alcançaram êxito nos estudos, foram certificados pelo professor e músico profissional Francenildo Torres, com a participação de familiares, autoridades convidadas e um público formado por colaboradores do próprio CPI, além de outros reeducandos. O evento ocorreu na manhã de sexta-feira (13), e foi embalado por oito canções, tocadas e cantadas pelos certificandos.
A cerimônia foi a culminância do projeto Um toque à Liberdade, que promove aulas de violão para os internos que buscam um novo caminho após a saída da prisão. O projeto é uma forma de reforçar o trabalho de ressocialização promovido na unidade e, devido ao sucesso, deve ser ampliado em 2020.
São oferecidas aulas de violão a um grupo de alunos selecionados pelo Setor de Terapia Ocupacional, com o compromisso de cada um, de se dedicar nos estudos e na prática, afim de alcançar a formação, que será juntada ao processo e garantirá remição de dias da pena dos reeducandos. O projeto contemplou, nesse primeiro momento, uma turma inicial com 12 alunos, dos quais sete perseveraram.
Parcerias
Prestigiaram a cerimônia, além do diretor em exercício do presídio, Bernardo Cerqueira Dutra, o diretor-presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Daniel Leão, e o diretor do Centro de Cultura Adonias Filho, George Lessa. Participaram ainda o gerente-operacional da empresa Socializa, Yuri Damasceno, e o coordenador de Segurança, Fábio Vivas.
Leão afirmou, em sua saudação, que promoverá um convênio entre a fundação e o presídio, a fim de ampliar o acervo da biblioteca, reforçando o programa de Remição pela leitura. Lessa, por sua vez, garantiu que o Centro de Cultura estará de portas abertas ao CPI, sinalizando diversas parcerias após a reforma daquele espaço.
Já o diretor em exercício do Conjunto Penal de Itabuna, Bernardo Cerqueira Dutra, declarou que o projeto deve ser ampliado, tamanho o alcance e o sucesso vislumbrados na apresentação. “Fiquei emocionado com a apresentação, e me convenci de que precisamos ampliar essa e desenvolver outras ações semelhantes. Tenho certeza que muitos dos internos que viram a performance desses músicos estão interessados em aderir ao curso”, declarou.
O projeto
Para que o sucesso observado na manhã de sexta-feira fosse possível, o projeto Um Toque à Liberdade percorreu um caminho longo. Coordenado pela assistente social Rubnéa Vieira, com apoio da equipe de Ressocialização, da coordenadora do Corpo Técnico, Genice Lacerda e do professor Francenildo Torres, os desafios foram sendo superados um a um. Na reta final, ganhou uma parceria de peso nacional: o cantor David Nascimento, um dos semifinalistas do The Voice, temporada 2018.
“Com apoio da Direção, da Segurança, pelo Estado, e da Gerência e de todos os colaboradores, pela Socializa, foi possível realizar esse sonho. Ao final, só nos resta agradecer a todos, principalmente aos reeducandos, que apostaram e acreditaram, junto com a gente, que tudo isso era possível”, afirma Rubnéa Vieira.
Encontro
Um dos momentos mais emocionantes do evento foi quando um dos músicos viu entrar sua família no salão: o pai, a esposa e seu filho, de dois meses, que ele ainda não havia conhecido até aquele instante. “As pernas tremeram”, relatou, depois, o emocionado pai. Por coincidência, ele foi um dos primeiros a se apresentar ao violão. “Achei que não ia dar conta, mas deu tudo certo. Foi muito emocionante”, declarou.
A mãe, também emocionada, declarou: “dentro desse contexto que estamos vivendo, esse foi o dia mais feliz que tivemos. Agradeço a todos por essa oportunidade, foi muito lindo”.