SEM VISITAS PRESENCIAIS, SOCIALIZA E CONJUNTO PENAL DE ITABUNA INTENSIFICAM ENCONTROS VIRTUAIS ENTRE REEDUCANDOS E FAMILIARES

O Conjunto Penal de Itabuna, por meio da empresa cogestora Socializa – Soluções em Gestão, está intensificando a realização de visitas com mediação tecnológica, por meio de vídeo-chamadas entre reeducandos e seus familiares. A solução foi efetivada a partir do projeto “Visitas virtuais, Laços reais”, desenvolvido pelo Corpo Técnico da unidade.

A decisão de reforçar o projeto se deu a partir da nova suspensão das visitas sociais, devido ao aumento dos casos de Covid no estado. A decisão é uma forma de resguardar a saúde dos internos, diminuindo os riscos de contágio pelo coronavírus, pelo aumento da circulação de pessoas nas áreas de convivência dos reeducandos.

As vídeo-chamadas são acompanhadas por assistentes sociais e, caso necessário, os reeducandos recebem acompanhamento psicológico. O serviço é por demanda espontânea. “Atualizamos os protocolos de segurança sanitária a fim de garantir que colaboradores e reeducandos não contrariam a doença. Hoje temos uma situação de controle do contágio entre funcionários e temos zero caso entre reeducandos”, declara o gerente administrativo da Socializa, Yuri Damasceno.

Em relação aos cuidados com os funcionários, o gerente reforça que a empresa adota medidas de prevenção, que se estendem às famílias, como a distribuição de álcool em gel para uso dos familiares. ” Essa semana fizemos a distribuição de álcool em gel para que os colaboradores levem para casa. Mas não apenas isso: orientamos sobre os cuidados de higiene, distanciamento social e uso de EPI’s”.

Cinema

Outra estratégia para reduzir a ansiedade e demais consequências psicossomáticas do longo encarceramento e distanciamento físico dos familiares é a realização de sessões de cinema, dentro do projeto Cinema Legal. “Essas seções são realizadas seguindo todos os protocolos de higiene e distanciamento social, para que sigamos com essa importmarca de nenhum reeducando contaminado, apesar de estarmos recebendo novos internos a cada semana”, afirma Yuri Damasceno.