PRONATEC E CONJUNTO PENAL DE ITABUNA PROMOVEM CURSO DE PADEIRO

Terá início nos próximos dias, no Conjunto Penal de Itabuna (CPI), um Curso Profissionalizante de Padeiro, ministrado pelo Pronatec, em parceria com a unidade prisional. Na manhã de sexta-feira (5) foi realizada a aula inaugural, com a equipe de professores do programa e profissionais da área de ressocialização do CPI. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foi criado pelo Governo Federal em 2011, e forma milhares de técnicos por todo o país.

A primeira turma será formada por 15 participantes, todos do regime semiaberto, que assistiram à aula inaugural e já se declararam ansiosos para o início das aulas. O curso será ministrado por profissionais da área de panificação, além de uma equipe multidisciplinar, que coordenará os aspectos pedagógicos, nutricionais e de gastronomia, além de um psicólogo e um chef de panificação.

O evento foi aberto pelo diretor do CPI, Capitão PM Adriano Valério Jácome da Silva, e teve a participação do diretor-adjunto, Bernardo Cerqueira Dutra, do coordenador de Segurança, Fábio Vivas, e da gerência da empresa Socializa – Soluções em Gestão, Yuri Damasceno (operacional) e João Sobral (administrativo), além de representantes de todo Corpo Técnico e equipe de Ressocialização da unidade. Participaram ainda o coordenador estadual do Pronatec, Thiago Guedes Viana, e o coordenador local, Lucaseri Limoeiro Ribeiro, além dos professores que ministrarão o curso nos próximos dias.

O diretor observou que essa é uma grande oportunidade que é oferecida a cada um dos cursistas, que podem transformar sua história a partir do conhecimento que irão adquirir. “Se cada um dos senhores acreditar e se dedicar, com certeza terão condições de dar um novo rumo a suas vidas a partir desse conhecimento. Vocês sairão daqui habilitados a trabalhar em qualquer panificadora. Portanto, se dediquem e aprendam, porque o conhecimento adquirido, só Deus tira”.

O curso foi resultado de um esforço da Superintendência de Ressocialização Sustentável junto à coordenação do Pronatec no estado. “Destaco e agradeço aqui o esforço do superintendente de Ressocialização Sustentável, Dr. Luiz Antônio, que não mediu esforços para que este momento se tornasse realidade. Este é mais um grande passo na trilha da ressocialização, que é o fim maior de qualquer unidade prisional e à qual o interno é apresentado desde sua chegada”.

Investimentos

O Conjunto Penal de Itabuna possui uma unidade de panificação, que fornece pães e outros alimentos para os internos. Essa unidade acaba de receber investimentos em seu maquinário e equipamentos, a exemplo de uma massadeira, cilindro, mesa e armários inox.

O empresário Júlio César Santos, da empresa Requinte Pães, que opera o serviço de panificação na unidade, diz que o investimento vai melhorar o atendimento às demandas do Conjunto Penal e também do curso de padeiro. “Quero parabenizar a direção do presídio e a empresa Socializa e dizer que, como empresário do setor, observo que essa mão-de-obra qualificada faz grande diferença”.

Para ele, um padeiro qualificado hoje não fica desempregado, porque há uma grande escassez desses profissionais no mercado.

ped3

ped2