INTERNOS DO CPI TEM CURSO DE BORDADO EM MÁQUINA COMPUTADORIZADA

Teve início, na quarta-feira (13), no Conjunto Penal de Itabuna (CPI), mais um curso voltado para a garantia de oportunidades de desenvolvimento integrado de reeducandos. Trata-se do Curso de Bordado em Máquina Computadorizada.

Voltado a internos que participam de atividades laborativas de Artesanato e de Corte e Costura do Centro de Educação e Ressocialização, o curso tem a participação de 12 alunos e alunas, que se revezarão nas aulas com uma instrutora, reconhecida profissional da área. O curso tem previsão de 30 dias de duração.

O objetivo é oportunizar aos cursistas, para quando estiverem de volta ao convívio social, uma atividade com potencial para geração e agregação de renda, despertando-os para atitudes empreendedoras. Também, nos aspectos biopsicossociais, auxiliar para a promoção do bem-estar, a socialização e melhora da autoestima, num processo de ressignificação da vida no cárcere. 

O primeiro dia de aula foi marcado por gratas surpresas. Alunas que acreditavam não ter capacidade de aprender a manusear uma máquina tão tecnológica como a que é usada no curso, acabaram por, não apenas se familiarizarem rapidamente com os processos, como também já sair produzindo seus primeiros bordados”, afirma a coordenadora do Centro de Educação e Ressocialização, Lúcia Beltrão.

Alunos já começam a produzir as primeiras peças, ainda como forma de treinamento
Alunos já começam a produzir as primeiras peças, ainda como forma de treinamento