AULAS NO CONJUNTO PENAL MASCULINO DE SALVADOR INICIARAM NESTA SEXTA FEIRA

“A escola de uma unidade prisional promove melhores perspectivas de futuro aos detentos; diminuindo a ociosidade durante o cumprimento da pena, melhorando a qualidade de vida dos reeducandos, preparando o indivíduo para reinserção na sociedade com conhecimentos, atitudes e valores que subsidiem seu desenvolvimento.” [ Renécia Figueredo – Pedagoga da SOCIALIZA no CPMS]

 

Nesta sexta feira (09/03), a escola do Conjunto Penal Masculino de Salvador (CPMS) iniciou as aulas, sendo uma proposta da Secretaria de Administração Penitenciara e Ressocialização – SEAP em parceria com a SOCIALIZA e a Escola do Complexo Penitenciário da Mata Escura – Colégio Professor George Modesto.
Muitos indivíduos que cometem crimes ingressam ao sistema prisional sem terem iniciado ou concluído os seus estudos. A educação é um direito social garantido pela Constituição Federal, e, não um privilégio. Portanto, entende-se que a educação prisional não está excluída desse direito.
Quanto à assistência educacional, a educação nos presídios faz parte da Educação de Jovens e Adultos (EJA), porém, com objetivos específicos que vão além da EJA.
“A escola de uma unidade prisional promove melhores perspectivas de futuro aos detentos; diminuindo a ociosidade durante o cumprimento da pena, melhorando a qualidade de vida dos reeducandos, preparando o indivíduo para reinserção na sociedade com conhecimentos, atitudes e valores que subsidiem seu desenvolvimento.”, afirma Renécia Figueredo, pedagoga da SOCIALIZA no CPMS.
Paulo Salinas, Diretor do Conjunto Penal Masculino de Salvador, esclarece que, “Além da escola, há um projeto também a ser implantando de remição por leitura. Mensalmente, uma professora dará a instrução para o preso, entregará o livro e ele terá 30 dias para ler. Depois, ele voltará para a sala de aula para fazer uma resenha, que será corrigida e a depender, gerará o direito de remir dias no tempo de pena por livro lido”.
O Conjunto Penal Masculino de Salvador destina-se à custódia de presos provisórios, ou seja, aqueles que aguardam o julgamento de seus processos.
Segundo o Gerente administrativo da SOCIALIZA no CPVC, Sr. Glauber Isidro de Albuquerque, a escola do CPMS já possui aproximadamente 80 alunos matriculados; e, o material escolar (cadernos, lápis, borrachas) é fornecido pela SOCIALIZA que também realiza em conjunto com a escola de vinculação os projetos e as campanhas educacionais, seguindo o calendário do MEC.

de3

de2